Musica

Descrição

escrevo coisas vindo do coração, de ouvir sobre a vida dos que tem para contar. São memórias de vida e anseios do futuro, sou um ser inquieto, uma alma procurando resposta que não sei se as terei, mas a busca continua.

Convite

tradutor

Seguidores

Queria


Não sofrer, viver, sobreviver.

Tudo é tão surreal

Queria te ver, sentir teu corpo.

Mas ao mesmo tempo  não quero

Existe uma briga interna meus dois eu estão em conflitos

Exponho-me mas não quero impor minha presença

Não sei o que fazer

Ao meu redor paira um silêncio aterrorizante

Falta ar, não sei se devo sair ou ficar.

Queria que já fosse outro dia

Que certas palavras nunca tivessem sido ditas

Tarde demais, foram, e agora.

Prometi a mim mesma exercitar meu silêncio

Mais uma vez não cumpri a promessa

Ironia


Tento não pensar em nada, fingir para mim mesma, que nada aconteceu.

É cena de sempre, nada muda, nem mesmo o tom que as palavras são proferidas.

Saio pela rua com o mesmo desespero de sempre

Descubro pessoas tão vazias quanto a que deixei para trás

É difícil acreditar que algum dia tudo irá mudar,  ilusão.

Talvez dependa apenas de mim , mas que ironia, não sei o que fazer.

Volto para casa cansada, nada me acrescentou.

Te encontro como sempre indiferente apático

Fechado em teu mundo de faz de conta

Ambos usamos  mascaras para dissimular

O estrago que causamos em nossas vidas



falta ousadia


Espero por você todos os dias em vão, sei que não vais chegar.

Teu mundo é outro, sentes minha falta, sentes.

Mas escolheste ficar

Mesmo que te faça sofrer

São tantas culpas e desculpas 

Que não nos deixam ser felizes

E sabes bem que o seriamos,  

                                                          Mas falta coragem

                                                                    A culpa não é só sua

                                       Ambos temos uma dose de covardia e uma falta de ousadia

                                                                    Condenados a viver de sonhos

Sem medo


  Quantas tempestades terei pela frente até conseguir a paz

Queria simplesmente contemplar a chuva, fazer parte do todo.

Deixar de ser metade 

Não confiar, nem  desconfiar ao extremo.

Não ter medos e nem certezas exacerbada

Molhar-me na chuva sem medo de resfriado

Ver você na festa e não sentir nada além de admira-lo

Rir de suas mentiras para que penses serem verdades

Ver-te, mas não dar importância para sua existência.

    Ser enfim mais contemplativa e menos participativa

Navegando

                                    

          Sinto-me navegando em círculos, quando penso que vou aportar

Os ventos me levam novamente, para outra tempestade.

Sem um tempo para me refazer

O que há de errado?

Olho-me no reflexo das águas como fez Narciso a procura de minha alma gêmea

Se em muitos aspectos não me reconheço, como quero então, que alguém me perceba.

Preciso mudar minha vida para que os ventos soprem ao meu favor

Será o que perdi a bússola de meu destino?

Na luta  contra mim mesmo não consigo o equilíbrio

Cada nova tentativa

Uma nova desilusão

Penso que essa, é minha amiga inseparável

Mas, viver deve ser isso, pagar um preço todos os dias.

                                                                                               
            

Te conheci

                     
              Apareces-te em  

               minha vida ao acaso

Chegou como uma brisa em um

dia de verão escaldante

Teu sorriso logo me conquistou

É uma mistura de dois mundos

O que vejo e posso tocar

E outro sombrio, cheio de

contradições.

Povoas meu imaginário

Trocamos confidências

Não sei como será o amanhã

Mas hoje me importo muito pouco

Gosto de estar contigo

Mas não te amo

Não vou me permitir sofrer novamente

LUZ

             

                                                  Quero que saibas o que representas para mim

N A D A

Com sua pose e sua arrogância pensou que eu estaria aos teus pés para sempre

 Nada mais és que um ponto na multidão

Destacava-se porque eu direcionava a luz para você

Mas agora, mudei de foco, não apareces está invisível.

Não adianta pedir, gritar implorar.

Já não faz parte de minha vida

Sequer quero guarda-lo em minhas recordações

Esqueça-me se puder, segue tua vida  procure outra.

Você precisa disso considerando que não tem luz própria.

simbolo trocado

2e1ebb2b1351 (520x520, 343Kb)

Escolhemos o outono para realizar uma
uma nova tentativa, reviver sentimentos esquecidos,.
.
Assim como as folhas que se desprendem das árvores para um novo sículo, um recomeçar

Ou quem sabe é só uma brincadeira, algo lúdico, um símbolo trocado num dia sem festa
Para marcar um tempo, 


Cada qual com sua expectativa

Você a procura de realizações, eu a procura de mim mesmo.

Estamos nos amparando um ao outo como errantes em meio à tempestade

Sabemos bem que o que nos separa é maior que o que nos une

Mas a solidão interna que cada qual carrega, faz com que nos insistimos nessa frágil relação

Já houve outas tentativa que fracassaram, não vejo sinal que  agora será diferente.

Mesmo assim insisto, persisto com a diferença que agora estou mais preparada para não.

Sofrer, espero....

Liberte-me




Você descontente

Eu infeliz

o mesmo dia de outros dias

Que preferia esquecer

Ir embora

Bater a porta

Não olhar para trás

Sem a chantagem costumeira

Mas se seguir meu coração

Serei só pecado

O que adiantou tantos anos

Se tudo foi um engano

E nada restou

Liberte-me, bem sabes

Que tens a chave dessa prisão

Atordoada


                                                                               
Chorar por quem, para quem.

Ninguém quer ouvir

Só silêncio ao meu redor

Todos estão surdos

Meu grito de angustia não chega a eles

Apesar de andar entre a multidão, estou invisível.

Cada qual seguindo seus próprios passos

Sinto que ando em círculos

Mesmo sabendo que tenho que seguir em frente

Estou confusa mentalmente, atordoada, cansada.

O que fazer, haverá algum lugar de paz neste mundo.

Não quero mais tanto egoísmo, preciso de verdades.

Chega de falsidades e ilusão

Recuso-me a precisar disso para viver

O Nômade


Você foi como uma brisa num dia de verão

Ficou o mínimo, mas foi o máximo.

Foi embora num dia chuvoso

Triste dia, ou quem sabe, dia feliz.

Por que levou com você tudo

o que vivemos, não quero olhar para traz,

Nada será como antes.

Não sinto saudades apenas uma lembrança

Que guardo dentro de mim

De um carinho, um aconchego.

Não sei onde andará, mas tenho.

A impressão de que não o verei mais.

Como dizes és um nômade 

Um até breve


Um sábado, uma tarde.

Duas pessoas em um refúgio perto do céu.

 Corpos que se entregam em uma sensação de volta ao lar.

 “Um vinho maravilhoso, uma impressão de¨ de nouveau

Olhos que se olhos, frenesi.

Palavras são ditas

Não há culpa nem pecado

Uma certeza de chega de esperar o que não virá

O momento é o que vale

Insensatez? Talvez

Mas ser sensato não é sinônimo de felicidades

Não há promessas

Só sentimentos, experimentados,

Momentos, únicos, nada existe neste momento, só nós                                      

Final do dia,  com os corpos cansados

Hora de ir,  um até breve, quem sabe....

Silêncio


Você fechado em teu silêncio

Como o fez por todos esses anos

Nem um gesto de reaproximação

Tudo fica claro

À distância me faz ver melhor

Sempre estive só, mesmo quando fingias estar ao me lado.

É um ser egoísta, pensando somente em teu mundo.

Esse, que também não é teu.

Vives para os outros que certamente não vivem para você

Mas isso não o constrange, ao contrário sente-se útil.

Na futilidade da vida que levas

O que conforta é que a distância apaga tudo, destrói castelos.

E me refugia no meu mundo particular

Afinal sempre terei  París..

Inspiração



Tuas mãos tem magia

Teu toque é sensual

Você seria minha inspiração

De toda vida, mais, sempre tem um, mais.

Não faço escolhas

As escolhas me fazem

Umas ruins outras boas

Mas o que é a vida? Senão uma eterna gangorra e

Labirintos , túneis que temos que ultrapassar

Não penses que sofro

Já não há mais espaço em mim para tal sentimento

A vida foge em meus dedos como areia

Os anos transcorrem de forma lépida

Sem piedade e sem assombros

Não quero mais focar em ninguém

Não quero cobranças nem quero cobrar

Quero simplesmente paz


veloz


 Mais uma vez, de volta ao começo

Ninguém é diferente de ninguém    
                                              
O desejo  sempre chega em primeiro lugar

O mundo gira em uma rotação lenta

E você anda na velocidade da luz

Nada precisa ser para hoje, se existe o amanhã.

O sol nasce todos os dias

Pessoas recriam-se

Para que tanta pressa

Não vamos nos machucar s novamente

Já passamos por isso

Deixe o tempo nos guiar no  momento certo

Assim  as borboletas retornam ao mesmo jardim, antes do fim



Cego


Estou sem saber o que fazer

Como um cego sem guia

Que não aprendeu a andar sozinho

Machucada, magoada

Sei que também magoei

Mas é assim mesmo

De tanto apanhar aprende-se a bater

Não sei como será

Mas acharei um jeito de sobreviver

Como sempre o fiz, cada vez mais só, certamente

Mais descrente no homem,

Mas com certeza

Acharei meu lugar

E será de luz e paz

Preciso




Preciso falar gritar estou sufocando

Mas você não permite

Permanece prostrado em suas atitudes incoerente

Não faça isso

Amanhã pode ser tarde

Já te falei que o arrependimento chega

E com ele não podemos lidar se não  nos redimirmos a tempo

Não sofra por nada, são só fantasias de sua mente doente.

Queria tanto te falar tantas coisas

Mas nada do que eu diga vai fazer sentido

Tudo é mais que triste, acho que não tem sinônimo que caiba nesta palavra.

Não nesse caso específico

Ouça teu coração, não se torture.

Isso me atinge de uma maneira que nunca vais entender

A dor que me causas 

Dizem que o tempo é o senhor da razão

Mas acho que é um ditado falho

A vida escoa-se sem que tenhamos coragem de tomar uma atitude

Não sei o que fazer sinceramente. 

Sinto-me exausta

Frágil


Hoje acordei me sentido fragilizada

Acho que por ter que fazer exames, nada sério, só rotina.

Mas não sei por que pensei que alguém

Oferecer-se-ia para me acompanhar

Que besteira, de antemão sabia que isso não aconteceria.

Fico com raiva de mim, por querer dos outros aquilo que não têm para me oferecer.

Preciso fortalecer minha fé

Aprender não esperar nada, assim, não me decepciono

Vivo melhor comigo e com todos

Afinal ninguém é obrigado a dar o que não tem para oferecer

Sentir-se só dói mas tem a vantagem de não sofrer por estar esvaziada

Acho que nunca é tarde para amadurecer e aprender

Afinal a vida é um eterno aprendizado

Espelho



O que aconteceu conosco

Tantas coisas ditas, tantas promessas.

Nada se concretizou

Tu não és o mesmo

Eu também não

Mudamos sentimentos transformaram-se

Temos medo de admitir.

Não quero olhar em seus olhos e me ver no espelho
   
Para ser sincera já não tenho mais certeza de nada

Não posso negar a falta que me faz

Mas já estou me acostumando com a solidão

Estou tentando encontrar comigo mesma

Preciso me esvaziar para novos sentimentos

Sei que tudo parece sem nexo

Mas só eu sei a angustia e a dor de me proteger

Da crueldade que existe, sem uma mão protetora.

Sei que final de tudo estarei mais fortalecida

Menos rancorosa e mais confiante


Enganos


Com você voei alto demais

Contei segredos, jamais  antes revelados.

Vivemos intensamente uma linda história de amor

Mas dê repente, minhas asas quebraram

Tu não me amparaste como sempre

Faz questão de levar para o lado pessoal o impessoal

O que está acontecendo

Será que ficamos juntos  tempo demais?

O encanto acabou?

Por que divagar em presunções inúteis

Que não dizem respeito ao que vivemos

Isso é um outo lado da moeda, será tão difícil de entender.

Por que não falas o que sente, se fecha em magoas.

Isso não nos levará a lugar algum

É como se eu subisse no alto de uma escadaria

E depois despencasse

Será sempre assim ou será o fim, decida você

Estou cansada demais para pensar

Meu pai

Ontem foi o dia dos pais
Passei o tempo  em  inquietude
Mistura de  nostalgia e dor
Voltei a minha infância, quase podia vislumbrar minha casa.
Meu pai, era quase sempre calado , não demonstrava muito seus sentimentos.
Era apaixonado por minha mãe
Mas os padrões da época, o lugar onde morávamos o impedia arroubos de amor.
Para um homem era sinal  fraqueza
Honesto e cheio de princípios rígido
Fazia questão da mesa posta  ás refeições ornada  com toalha de tecido
A família toda reunida, mesmo que sem fome ninguém levantava sem sua permissão.
Não havia essa de  cada um fazer seu prato e comer onde desejasse
Quando criança, aquilo parecia entediante.
Mas hoje sinto falta de tudo que me cercava
Do seu jeito de ser de suas crenças
De rezar o pai nosso em latim, nos dizia  que assim Deus  nos ouviria mais facilmente.
Sempre nos ensinou que essa  era a oração mais poderosa
Aos domingos tínhamos que ir a igreja assistir a missa
Fomos  criados em uma cidade basicamente povoada por italianos e descendentes
Até o padre rezava em latim
Saudades meu querido velho pai, você dizia que conseguia falar com os mortos.
E com os vivos? Será que me ouve? Acredito na eternidade
Sei que nossa família se reunira novamente
Até um dia. Mais uma vez, feliz dia dos pais.

Até um dia



Pensei que tivesse um refúgio, algo que compensasse tudo.

Mas que engano, eu sempre me iludo.

Meu coração adora pregar peças

Olho para todos os lados e não vejo ninguém capaz

De suprir o vazio que existe em mim

Imaginei que agora fosse diferente, mas não é.

És só mais uma pessoa que passou em minha vida

Deixara marcas, certamente deixara, mas nada que me faça.

Sofrer mais que o calvário que peregrino por tanto tempo

Não quero mais cultivar ilusão sobre ninguém

Quero ir em busca do infinito, do inatingível.

Chega de segredos, de lamúrias.

Você sempre fará parte de minha vida

Mas como disse parte, mas o amor

tem que ser mais que migalhas

Quero estar por inteira

Sem hora e data marcada

Sem sofrimento

Sem temer o amanhã

Você nasceu com outro destino o qual não faço parte

Isso não é um adeus, serás  um amigo para sempre.

Mais que muitos podem ter

Sempre teremos nossos momentos

Eu é que entrei em uma rua sem saída

Achei que tinha direito mais que me concedeu

Não quero mais lembrar nada

Tempo


Por que tem que ser assim

Você antes tranquilo agora, perverso.

É atormentador

Estou como uma cega que não vê ninguém para pedir ajuda

Sinto-me esvaziada 

Por amar demais e não encontrar receptividade

Estou deixando de desejar

Esquecendo-se de como é se entregar com afeto

O corpo é só carne nada representa é só acessório

Se faltar o principal

Choro por mim por você, pelos anos que nada representaram.

O tempo é cruel, não perdoa, segue em frente 

Dia após dia, não olha para trás para esperar.

Certamente vamos nos arrepender, mas ai será muito tarde.

Acorrentada


Estou acorrentada a você  como um loco sem perspectiva

São velhos temores que me assaltam a noite

Quebrar os grilhões é mais difícil que se jogar do precipício

Me arrasto,  ao invés de andar

Não vislumbro o amanhã

Sou como um condenado no corredor da morte

Me falam, segue por aqui

Outros é melhor por ali

Tem os que não opinam

O medo me paralisa

Não sei exatamente do que,  é alguma coisa parecida com pavor

Você

Sinto necessidade de te ver

Gosto da paz que emana de você

Mesmo quando me parece agitado

O toque de suas mãos em meu corpo me tranquiliza

Seu jeito leve de ser, me transporta para o começo.

Do meu mundo particular

Sei que será só isso, sempre.

Mas a vida corre, brinca conosco.

Não nos deixa fazer planos

Mas para que? Já fiz tantos que não se concretizaram

Feitor

    

Perfeito, tua insanidade me alimenta.

Minha loucura te satisfaz

Quando tudo começou?

Quando isso tudo vai parar?

Estou exausta, tento me refugiar dentro de mim, não há mais espaço.

Pensar sobre o que? planos não têm mais!

Somo um em dois

Na a mesma loucura, a diferença, eu admito

 Dói, fere

. A noite  nos tornamos sombras

Com ela vem à quietude as palavras morrem na garganta.

Mas quando o dia nasce o feitor surge

Com toda sua arrogância e empáfia


Só amigos


Você telefona

Eu fico sem graça

Insistes e persistes em mim

Quer ouvir que o amo

Não posso dize-lo

Esse sentimento,

Quero esquecer

Só me trouxe dor e desilusão

Não leve tudo tão a sério

A vida passa como o vento

Liberte seu coração

Meu querido, aceite a amizade

Que te ofereço de coração

E os bons momentos

Que reservamos a ela

Não faças plano

A vida corre, ao curso do rio

Não te afogues em saudades

Não vale a pena o lamento

Ele quebra o encanto

Acaba o momento

Deixe tudo como está

Simplesmete viva a vida

A viagem


Quando o avião decolou Tinha certeza que não era só mais uma viagem

Era a nossa viagem Finalmente estaríamos juntos

Em nada você me decepcionou

Foram dias memoráveis

Não havia tédio ou discussão, somente um amor intenso

 Tudo era novo e ao mesmo tempo

 Um gosto de regresso De aconchego

 Uma intimidade nunca antes usufruída

Ansiedade, querer viver tudo em tão pouco tempo

 Sei que nunca será igual, mas sempre

Teremos em nossos corações Aqueles dias indescritíveis

Te amo

O teu sorriso me ilumina Toda vez que penso em desistir Olho para o lado e você ali esta Dizendo-me vai amor, tudo vai dar certo Amanhã é um novo dia O sol vai brilhar Eu estou presente em sua vida Eu vim para ficar Nunca mais será só você Meus braços vão te agasalhar Meu amor Não deixe nunca acabar Nosso amor vai se eternizar


Momento


     
Uma tarde, poderia não ser nada além disso mas,

 Surpreendentemente foi uma descoberta maravilhosa

A prova que podemos tudo o que realmente desejamos

São pequenas atitudes que nos fazem grandes

 De corpo e mente Nunca duvide do que somos capazes

O universo conspira a favor dos puros de coração

 Dos que acreditam no amor Sem deterem -se em formulas ou frase feita

 Renasce do prazer da beleza do momento É disso meu querido
que a vida é feita

É isso que eu acredito

Cinderela

   


Tento me reinventar, me recriar todos os dias Para sobreviver

.Escapar das armadilhas da vida Sem muitos traumas e crises 

 Sei que é difícil, mas o que é fácil? 

 Procuro por respostas que sei que não as terei Tudo é puro mistério 

 Pessoas insensíveis Tornam nosso redor nebuloso Sei que tudo é mutável

 Acredito nisso, preciso dessa certeza,para continuar 

 E não perder o mesmo sonho da gata borralheira Que numa noite se tornou Cinderela

Definições


Melancolia este é o estado de espírito o qual me encontro atualmente

 Uma dor que não sei definir de onde vem

 Uma solidão interna que dói

 Ninguém ou lugar algum preenche pode este vazio

 Parece que minha busca não vai acabar

 Preciso definir quem realmente sou,

 As pessoas a minha volta, igualmente as sinto apáticas

 Percebo um desencanto em quase todos os rostos que observo

 Minhas noites insones não são de tristeza ou de agonia

São apenas uma espera do tempo passar

 Às vezes tenho vontade de chamá-lo Pedir que me ouça mas, Já sei todas as respostas

 Sinto frio mas é inverno se despedindo

A primavera vem chegando e com ela, quem sabe novas pespectivas

Perssistência

                                              
Medos duvidam me assaltam constantemente

Não sei o como será a batalha decisiva

Ao meu redor, o cenário se transforma

Pessoas que amo, estão sofrendo

Debatem-se para mudarem, mas não as vejo com

uma força verdadeira

Como ajudá-las se se isolam em suas trincheiras

Não é só sofrimento físico que sinto, mas

Desencanto ,ausência de sentimentos

Sei que palavras em certas situações, são apenas palavras

De todo meu coração e meu respeito pelas leis do universo

Espero que consigam, eu não vou desistir de vocês

Os amos demais para isso